Clube News

A piores decisões da história mundial

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
A piores decisões da história mundial

Seja com base em caprichos, em linhas cruzadas, na confiança excessiva ou na informação insuficiente, há vários motivos pelos quais as pessoas tomam decisões erradas. Infelizmente, algumas dessas escolhas malfeitas tiveram consequências tristes - ou até mesmo desastrosas - para a humanidade. Aqui vão algumas das piores decisões tomadas na história.

A piores decisões da história mundial

Napoleão invade a Rússia
Em junho de 1812, um imperador francês confiante demais, um certo Napoleão Bonaparte, estava dedicado à tarefa de expandir seu império. Ele decidiu enviar tropas à Rússia, certo de uma vitória arrasadora em uma batalha rápida que não duraria mais de 20 dias. No entanto, ele fracassou na hora de considerar a falta de preparação (comida de menos), infecções, temperaturas árticas e a presença do exército russo. Meio milhão de soldados franceses morreram como resultado de sua decisão vaidosa.

A piores decisões da história mundial

O motorista que causou a Primeira Guerra Mundial
Em 28 de junho de 1914, o arquiduque Francisco Ferdinando, herdeiro do Império Austro-Húngaro, estava visitando a capital da Bósnia, Sarajevo, com sua esposa, Sophie. Seis terroristas que estavam à espreita atacaram seu carro. O arquiduque sobreviveu sem ferimentos, mas o ataque deixou outros passageiros feridos. Depois de uma reunião na prefeitura, o arquiduque decidiu visitar seus companheiros feridos no hospital. Infelizmente, o motorista errou o caminho e e acabou na mesma rua onde o ataque havia ocorrido mais cedo. Um dos terroristas, Gavrilo Princip, ainda estava no local e não deixou uma segunda chance passar. O assassinato do arquiduque foi o estopim da Primeira Guerra Mundial (A foto mostra a prisão de Princip.)

A piores decisões da história mundial

Uma má decisão americana em Cuba
A invasão planejada da Baía dos Porcos na costa cubana, em abril de 1961, foi um exercício tão impressionante quanto fútil. Oito bombardeiros B-26 tentaram arrasar a força aérea de Cuba em terra enquanto dois outros bombardeiros, disfarçados com as cores de Cuba, pousaram em Miami para fazer parecer que os EUA não tinham nada a ver com o caso. O fracasso total do governo Kennedy na missão serviu apenas para fortalecer o regime de Fidel Castro no país, que ainda sofre com a falta de liberdades individuais e devido ao embargo dos Estados Unidos. Che Guevara chegou a agradecer Kennedy pela tentativa de “invasão”.

A piores decisões da história mundial

Um erro de tradução com repercussões graves
Há vezes em que um erro de tradução pode ter consequência graves, e certamente este é o exemplo mais trágico. Quando uma oferta de paz exigindo a rendição incondicional do Japão foi redigida e enviada ao primeiro-ministro japonês Kantaro Suzuki, ele respondeu com “mokusatsu,” querendo dizer que ele estava “se negando a comentar”. No entanto, essa palavra tem várias traduções possíveis, e ela acabou sendo interpretada como “tratar com desprezo silencioso”. Esse erro de tradução foi considerado uma resposta oficial, e em 2 de setembro de 1945, a primeira bomba atômica foi jogada sobre Hiroshima, mudando o curso da história.

A piores decisões da história mundial

A China persegue os pardais - e é derrotada
Em 1958, o líder chinês Mao Tse-tung assinou um decreto anunciando a “Campanha das Quatro Pestes”. Ela visava acabar com animais vistos como danosos à saúde pública, como mosquitos, ratos, moscas e pardais. Os pardais eram especialmente responsabilizados por comerem frutas e grãos que eram cultivados para alimentar a população chinesa. Não se perdeu tempo em destruir os seus ninhos, abatê-los a tiros ou os impedindo de pousarem no chão. O resultado foi a morte de dezenas de milhões de pardais, dizimando a população e o ecossistema de uma só vez. Sem os pardais, os insetos dizimaram as plantações, levando entre 20 e 45 milhões de chineses a morrerem durante a Grande Fome, entre 1959 e 1961.

A piores decisões da história mundial

Relógios sem sincronia dão a vitória aos otomanos
A campanha dos aliados na Primeira Guerra Mundial contra o exército otomano foi um desastre, em parte devido a uma falha para sincronizar os relógios. O bombardeio naval da costa acabou 7 minutos mais cedo, permitindo aos turcos que se reagrupassem, se recuperassem e contra-atacassem os mais de 600 soldados australianos, dos quais a maioria acabou sendo morta. Como consequência direta, os aliados se retiraram e os otomanos tiveram uma vitória precoce que acabou prolongando a guerra.

A piores decisões da história mundial

Um gás mal escolhido causa a tragédia do Hindenburg
No começo do século 20, viajar entre a Europa e a América era algo interminável. Isso até a criação dos dirigíveis, um feito da engenharia que poderia cruzar o Atlântico em apenas 60 horas, muito menos que outras formas de transporte disponíveis na época. No entanto, a noção romântica de cruzar o oceano em um balão gigante caiu por terra em 6 de maio de 1937, quando o Hindenburg entrou em chamas. A decisão de encher o balão com hidrogênio, altamente inflamável, em vez de hélio selou o destino trágico do dirigível. Esse desastre é muitas vezes comparado com o do Titanic, outro desastre de transporte em grande escala com um impacto duradouro.

A piores decisões da história mundial

A negligência fatal da NASA
A ciência é outro domínio que pode sofrer com más decisões. A tragédia ocorreu quando altos membros de uma equipe da NASA ignoraram os avisos de especialistas de que um componente da fuselagem do ônibus espacial Challenger era vulnerável à erosão. Em 28 de janeiro de 1986, a Challenger explodiu 73 segundos depois de decolar, matando todos os sete astronautas a bordo. O custo total à NASA foi de mais de US$ 5 bilhões, e a exploração espacial - pela qual grandes avanços tecnológicos e científicos foram obtidos - foi abalada por vários anos.

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter